Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/1061
Título: Utilização do colostro fermentado à temperatura ambiente no aleitamento dos vitelos
Autor: Rodrigues, A.M.
Palavras-chave: Colostro
Colostro fermentado naturalmente
Aleitamento de vitelos
Data: 1989
Editora: APEZ
Citação: RODRIGUES, A.M. (1989) - Utilização do colostro fermentado à temperatura ambiente no aleitamento dos vitelos. In Congresso de Zootecnia, 1, Vila Real, 9-11 Nov. - Comunicações. Vila Real : APEZ. P. 63-74.
Resumo: Com o objectivo de comparar a influência de dois tipos de alimentos lácteos no desenvolvimento, ingestão de alimentos e índice de conversão de vitelos Holstein Friesian durante os 28 dias de aleitamento e nos primeiros 14 dias pós-desmame, foram constituídos dois grupos com 9 animais cada um (5 fêmeas e 4 machos) provenientes do efectivo bovino leiteiro da Escola Superior Agrária de Castelo Branco (ESACB). Os vitelos do Grupo 1 (G1) consumiram durante o aleitamento colostro fermentado e os vitelos do Grupo 2 (G2) ingeriram leite de substituição convencional. O tempo de armazenamento, afectou a composição química do colostro mantido à temperatura ambiente. Ao 28º dia, o teor em sólidos totais era inferior ao valor existente ao 7º dia (P<0,01). Durante o mesmo período, o pH do colostro sofreu uma diminuição acentuada (P<0,05). Pelo contrário, a acidez aumentou 1,6 vezes (P<0,05). Os animais dos dois grupos tiveram durante o aleitamento ganhos de peso diário (GPD) semelhantes (P>0,05), sendo de 0,319 kg/d ± 0,095 e de 0,327 kg/d ± 0,088, respectivamente para o G1 e G2. Nos primeiros 14 dias pós-desmame, o GPD foi superior (P>0,05) no G2 (0,889 kg/d ± 0,204), quando comparado com o G1 (0,718 kg/d ± 0,275). Os consumos de matéria seca (MS) de alimento lácteo (P<0,01) e MS total (P<0,01) foram maiores no G2. Pelo contrário, não encontramos diferenças no consumo de alimentos sólidos (concentrado e feno) (P>0,05). Depois do desmame verificamos que, o consumo total de MS foi superior (P>0,05), nos vitelos do G2. Durante o aleitamento, o índice de conversão (IC) foi favorável (P>0,05) ao G1, sendo de 1,792 ± 0,681 e 2,251 kg MS/kg peso ± 0,572, respectivamente para os grupos 1 e 2. Após o desmame o IC do G2 foi ligeiramente menor (P>0,05). Concluimos que, embora não tenham provocado alterações significativas no desenvolvimento dos animais até aos 42 dias, a utilização dos excessos de colostro no aleitamento dos vitelos com uma refeição diária de alimento lácteo e com desmame precoce aos 28 dias, torna esta fase da vida dos animais 4 vezes mais barata. E portanto uma alternativa viável ao leite de substituição comercial utilizado.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/1061
Aparece nas colecções:ESACB - Comunicações em encontros científicos e técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Utilização do colostro fermentado.pdf7,12 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.