Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/1150
Título: Avaliação de programas de erradicação: cálculo e uso de indicadores epidemiológicos
Autor: Martins, M.V.
Almeida, V.
Neto, I.
Nunes, T.
Palavras-chave: Epidemiologia
Brucelose
Pequenos ruminantes
Beira Interior
Data: 2003
Editora: SPCV
Citação: MARTINS, M.V. [et al.] (2003) - Avaliação de programas de erradicação: cálculo e uso de indicadores epidemiológicos. In Encontro da Sociedade Portuguesa de Ciências Veterinárias, 3, Vairão-Vila do Conde, 29-30 Novembro. Comunicação oral.
Resumo: Os indicadores de quantidade de doença numa po¬pulação: prevalência e incidência, a nível de efectivo e a nível animal, permitem avaliar o progresso realiza¬do no controlo de doenças. Os valores calculados para estes indicadores são relevantes para os decisores de saúde animal optarem por manter ou por adaptar/modi¬ficar a combinação de métodos de controlo/vigilância integrados num determinado programa. Consequente¬mente, é desejável que as estimativas da prevalência e da incidência reflictam a realidade. Estes indicadores dependem da qualidade da recolha, validação, processamento e análise dos dados. Com al¬guma frequência, o cálculo da prevalência e da inci¬dência é destorcida; noutros casos, a sua interpretação é destorcida; e noutros ainda, nem sequer é possível a sua computação. Por outro lado, as classificações sanitárias atribuídas aos rebanhos têm que reflectir o estatuto sanitário dos mesmos e da região onde se inserem, pois hoje, são estas classificações que regulam o comércio de animais vivos e de produtos de origem animal. Deste modo, as classificações sanitárias de efectivo/área serão relevan¬tes na erradicação das doenças englobadas no Plano Nacional de Saúde Animal. Neste contexto, iremos recorrer a um estudo-de-caso da brucelose nos pequenos ruminantes na Beira Interior para apresentar algumas metodologias (1) de validação de dados recolhidos no âmbito do programa de erradi¬cação; (2) de cálculo de indicadores de quantidade de doença e de variação de incidência; (3) do tempo de extinção de focos e (4) de identificação de agregados de doença; muito úteis para a avaliação de programas de erradicação.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/1150
Aparece nas colecções:ESACB - Comunicações em encontros científicos e técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Programas_de_erradica_PORTO.pdf3,11 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.