Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/1313
Título: A influência da gordura protegida na produção e composição do leite de vacas frísias
Autor: Losa, J.M.
Calafate, M.G.
Rodrigues, A.M.
Palavras-chave: Vaca leiteira
Gordura by-pass
Produção
Teor butiroso
Teor proteico
Peso vivo
Data: 1992
Editora: APCRF
Citação: Losa, J.M.; Calafate, M.G.; Rodrigues, A.M. (1992) - A influência da gordura protegida na produção e composição do leite de vacas frísias. A Vaca Leiteira 36: 10-17.
Resumo: Com o objectivo de comparar o efeito da utilização de uma gordura “By-Pass” sobre a produção e composição do leite de vacas Frísias, foram constituídos 3 grupos de 6 vacas cada um, homogéneos para a produção de leite, teor butiroso, peso vivo e número de lactação. O ensaio foi feito durante as primeiras 14 semanas de lactação. O grupo 1 (G1) com alimentação normal serviu de testemunha, o grupo 2 (G2) foi suplementado com 500g de gordura “By-Pass)/dia e o grupo 3 (G3) com 750g de gordura “By-Pass”/dia. Os resultados obtidos permitem-nos concluir que cada animal do G3 produziu em média mais leite (2586,83 ±287,21kg; P>0,05), quando comparado com os G1 (2203,50 ±519,29kg) e G2 (2229,00 ±412,44kg). A quantidade de gordura do leite também foi superior no G3 (3,98 ±0,408g/100g; P>0,05), sendo nos G1 e G2 respectivamente de 3,73 ±0,513 e 3,75 ±0,744g/100g de leite. Não foram detectadas grandes diferenças em relação à quantidade de proteína do leite. No entanto, o G2 apresentou valores ligeiramente superiores (3,39 ±0,240g/100g; P>0,05) em relação aos resultados encontrados para o G1 (3,20 ±0,155g/100g) e G3 (3,25 ±0,161g/100g). Tal como seria de esperar, as vacas dos 3 grupos tiveram uma diminuição de peso durante os primeiros 60 dias de lactação. Durante o mesmo período, as vacas do G1 perderam 64,5 kg enquanto que as do G2 e G3 perderam, respectivamente, 39,5 e 35 kg. Esta evolução do peso vivo poderá ter tido alguma influência nos parâmetros reprodutivos observados, uma vez que as vacas do G1 tiveram intervalos parto-inseminação fecundante bastante superiores (91,33 ±29,92 dias; P>0,05) aos resultados encontrados para os G2 (77,16 ±24,84 dias) e G3 (77,33 ±17,41 dias). Ao fazermos a análise económica comparativa dos 3 grupos e considerando apenas o acréscimo de produção de leite, verificamos que a utilização de 0,750 kg de gordura “By-Pass” por dia, como suplemento ao regime alimentar das vacas em produção, traduziu-se num acréscimo de receita para o G3 de +19.655$40/vaca durante o período de 14 semanas.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/1313
Versão do Editor: http://www.apcrf.pt/gca/?id=209
Aparece nas colecções:ESACB - Artigos em revistas sem arbitragem científica

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
gordura_protegida_vleiteira.pdf1,11 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.