Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/1507
Título: Particularidades na formulação de misturas de alimentos para coelhos anões
Autor: Vaz, E.S.R.
Pitacas, F.I.
Rodrigues, A.M.
Palavras-chave: Coelhos anões
Necessidades em nutrientes
Regime alimentar
Data: 2012
Editora: ASPOC / ESAV
Citação: Vaz, E.S.R.; Pitacas, F.I.; Rodrigues, A.M. (2012) - Particularidades na formulação de misturas de alimentos para coelhos anões. IV Jornadas da ASPOC / Jornadas de Cunicultura da ESAV, Viseu, 6-7 Novembro - Livro de comunicações.
Resumo: Estima-se que dois em cada três lares portugueses tenham um animal de estimação. Embora predominem os cães e os gatos, lagomorfos e roedores de companhia têm vindo a contribuir cada vez mais para aqueles números. Pela importância que os coelhos anões têm a nível mundial como novos animais de companhia, vários estudos têm sido desenvolvidos para avaliar as suas necessidades nutricionais, sempre com o objetivo de aumentar o seu bem-estar e a sua longevidade. Os coelhos anões podem viver mais de 7 anos, têm um peso ao nascimento de 30 a 60g, peso adulto inferior a 1000g e consumos médios diários de alimentos de 5g/100g PV e de água de 5 a 10ml/100g PV. O primeiro grande problema que o nutricionista tem de resolver é o de conseguir atenuar, com o alimento que formula, o ritmo de crescimento dos dentes incisivos. O regime alimentar deve conter alimentos fibrosos, predominantemente fenos de gramíneas como o azevém (Lo¬lium spp) e/ou o rabo-de-gato (Phleum pratense). O segundo grande problema consiste em reduzir o risco de urolitíase nos animais mais velhos. As dietas devem conter pouco Ca (0,5% em coelhos adultos; 0,8% em coelhos em crescimento e coelhas em lactação) e pouca Vitamina D (<25μg/kg de alimen¬to). Os regimes alimentares com elevados níveis de Ca, por exemplo com grande quantidade de feno de luzerna, vão contribuir para uma maior ocorrência de cálculos renais de Ca(H2PO4)2 e CaC2O4. O terceiro grande problema é a obesidade. Para evitar fenómenos de obesidade, o regime alimentar deve ser pobre em gordura (até 3,5%) e o rótulo da embalagem devem indicar a dose máxima diária recomendada de alimento. A gordura deve ser rica em CLA e PUFA para evitar problemas de pele e pêlo. O poster elaborado apresenta alguns exemplos do apoio técnico e científico que a Escola Superior Agrária de Castelo Branco está a dar a duas empresas que produzem e comercializam misturas para animais de companhia. Têm vindo a ser formuladas misturas para coelhos anões que já estão disponíveis no mercado. As misturas produzidas satisfazem as necessidades dos animais e incluem sementes de cereais (milho, trigo e cevada) e de proteaginosas (ervilha forrageira e lentilha), micronizadas e extrudidas, pelet formulados por nós e pelet de luzerna, palha de trigo, fenos de azevém e de luzerna e suplementos vitamínicos, minerais e PUFA. Apresentam uma composição variável de 11-13% PB, 2-3% GB, 13-15% FB, 4-6% cinzas, Ca <1%, P<0,7% e 2600-2800 kcla/kg ED.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/1507
Aparece nas colecções:ESACB - Posters em encontros científicos/técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Particularidades_formulação_misturas_coelhos_anões.pdf1,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.