Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/2098
Título: Quem cuida os idosos? : formação e qualidade de vida de cuidadores formais de pessoas idosas
Autor: Beringuilho, Fátima Alexandra Ramos
Orientador: Saraiva, Horácio Pires Gonçalves Ferreira
Pinheira, Vítor Manuel Barreiros
Palavras-chave: Formação
Qualidade de vida
Cuidadores formais
Idosos
Training
Quality of life
Formal caregivers
Elderly
Data de Defesa: 28-Nov-2013
Resumo: INTRODUÇÃO: O aumento da população idosa associada ao aumento da longevidade humana e por conseguinte à maior prevalência de doenças crónicas e maiores níveis de incapacidade, fez emergir a importância de um novo grupo profissional considerado crucial para a prestação de cuidados de forma digna e qualificada em instituições geriátricas: os cuidadores formais. METODOLOGIA: Delineou-se um estudo exploratório, descritivo, comparativo, correlacional e transversal, com o objetivo de avaliar e comparar o perfil, níveis de formação e de qualidade de vida de cuidadores formais de instituições geriátricas com e sem fins lucrativos, assim como, estudar a relação entre a existência de formação e os níveis de qualidade de vida. Para alcançar este objetivo, recorreu-se a uma investigação de natureza quantitativa, cuja amostra de conveniência foi constituída por 254 indivíduos de 15 instituições de apoio a idosos do distrito de Castelo Branco, subdividida em dois grupos: Grupo sFL (sem fins lucrativos) e Grupo cFL (com fins lucrativos). Para a recolha dos dados foi utilizado um questionário de caracterização sociodemográfica e laboral da amostra, um questionário de recolha dos níveis de formação e o WHOQOL-BREF. RESULTADOS: Observaram-se diferenças entre o perfil dos cuidadores de instituições com e sem fins lucrativos em termos de idade, estado civil, número de filhos, habilitações literárias, anos de atividade na instituição atual, anos como cuidador profissional e a simultaneidade com cuidado informal. Os cuidadores de instituições sem fins lucrativos têm maior número de formações e menor média de formações por ano, que os cuidadores de instituições com fins lucrativos. Relativamente à qualidade de vida, os cuidadores evidenciaram comprometimento desta, não se tendo observado diferenças entre ambos os grupos. Por fim, verificaram-se melhores níveis de qualidade de vida no domínio Físico (p=0,038), Psicológico (p=0,003) e Social (p=0,009) em indivíduos que referem possuir formação na área em que trabalham. CONCLUSÃO: As organizações e responsáveis institucionais devem comprometer-se a desenvolver medidas de suporte para com os seus cuidadores formais, de forma a proporcionar formação e atualizações contínuas, que incidam na promoção de conhecimentos e de competências relativamente ao cuidado, garantindo melhores cuidados às pessoas idosas e melhor QV a estes profissionais.
INTRODUCTION: The increasing elderly population associated with increased human longevity and therefore a higher prevalence of chronic disease and higher levels of disability, brings out the importance of a new professional group considered crucial to the care process in a dignified and qualified in geriatric institutions: formal caregivers. METHODS: This study was outlined an exploratory, descriptive, comparative, correlational, cross-sectional to evaluate and compare the profile, levels of training and quality of life of caregivers formal geriatric institutions and non-profit organizations, as well as studying the relationship between the existence of training and levels of quality of life. To accomplish this, we used a quantitative research, whose convenience sample consisted of 254 individuals from 15 institutions for the elderly of the district of Castelo Branco, subdivided into two groups: Group SFL (nonprofit) and CFL group (for-profit). For data collection a questionnaire was used to characterize the sociodemographic and work sample, a questionnaire for training standards and WHOQOL-BREF RESULTS: There were differences between the profile of caregivers of institutions and nonprofit organizations in terms of age, marital status, number of children, educational attainment, years of activity in the current institution, years of activity as a professional caregiver and simultaneity with informal care. Nonprofits institutions caregivers have a greater number of training and lower average training per year that caregivers of for-profit institutions. Caregivers showed impairment of quality of life and no differences were observed between both groups. Finally, there were higher levels of quality of life physical domain (p = 0.038), psychological (p = 0.003) and social (p = 0.009) in patients who report having training in the area in which they work. CONCLUSION: Organizations and institutional leaders must commit to developing supportive measures towards their formal caregivers, to provide training and ongoing updates, which focus on the promotion of knowledge and skills relating to care, ensuring better care for the elderly and better quality of life to these professionals.
Descrição: Dissertação apresentada às Escolas Superior de Educação e de Saúde Dr. Lopes Dias do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/2098
Designação: Mestrado em Gerontologia Social
Aparece nas colecções:ESECB - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Quem cuida dos idosos..pdf2,27 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.