Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/232
Título: Contributo para a caracterização molecular de echinococcus granulosus em Portugal
Autor: Beato, Sílvia Filipa Alves
Palavras-chave: Caracterização molecular
Echinococcus granulosus
Genotipagem
Portugal
Data de Defesa: 2008
Editora: Universidade Nova de Lisboa. Instituto de Higiene e Medicina Tropical
Citação: BEATO, Sílvia Filipa Alves - Contributo para a caracterização molecular de echinococcus granulosus em Portugal. Lisboa: UNL. Instituto de Higiene e Medicina Tropical, 2008. XV, 98 p. Dissertação de Mestrado
Resumo: A Equinococose/hidatidose – doença causada pela fase larvar (hidátide – vulgarmente conhecida como quisto hidático) do cestode Echinococcus granulosus – é uma das zoonoses mais comuns e encontra-se entre as de maior importância médica e veterinária. Tem uma ocorrência em ecossistemas variados e a boa adaptação do parasita a diversos hospedeiros contribui para a biodiversidade, com o aparecimento de variações genéticas intraespecíficas ou “estirpes”. De facto, vários estudos demonstraram a existência de dez diferentes estirpes/genótipos (G1 a G10) vindo, assim, confirmar a diferenciação efectuada por critérios morfológicos, biológicos e bioquímicos. A caracterização molecular tem permitido clarificar a epidemiologia e melhorar o controlo desta zoonose, em diferentes países. A maioria das estirpes conhecidas de E. granulosus pode infectar os humanos (principalmente a G1, mas também G2, G5, G6, G7, G8 e G9) com maior ou menor gravidade. O principal objectivo deste estudo é identificar os genótipos de E. granulosus circulantes nos hospedeiros intermediários, em Portugal, dado que não existe ainda nenhum estudo molecular sobre identificação de estirpes deste parasita no país. As amostras foram isoladas de fígados e pulmões, recolhidos em matadouros, a partir de animais domésticos, como ovinos e bovinos, na região centro de Portugal. Foi feita a extracção de DNA de todas as amostras e, este, foi submetido a técnicas moleculares com base na amplificação da região ITS-1 (ITS1-PCR), Eg9-PCR e Eg16-PCR, às quais foram aplicadas diferentes enzimas tais como a Rsa I, a Cfo I, a Msp I e a Taq I. Para confirmação foi feita, posteriormente, a sequenciação de uma região do genoma mitocondrial que codifica o gene citocromo oxidase c subunidade 1 (COI). Os resultados obtidos mostraram que o genótipo presente nas amostras estudadas (de ovinos e bovinos) é o G1 (estirpe ovina). Devido ao reconhecimento desta estirpe como infecciosa para os humanos, a presença da mesma em Portugal demonstra a importância que a hidatidose pode assumir como problema de saúde pública.
Descrição: Mestrado em Ciências Biomédicas, Especialidade de Biologia Molecular em Medicina Tropical e Internacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/232
Aparece nas colecções:ESALD - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
tese final.pdf55,71 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.