Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/2340
Título: Identificação de um novo haplótipo de fasciola hepatica
Autor: Roque, Cláudio
Beato, Sílvia
Maurício, Isabel
Belo, Silvana
Palavras-chave: Fasciola hepatica
Fasciolose
PCR
Amplificação das regiões ITS1 e ITS2
Sequenciação
Rede filogenética
Identificação de um novo haplótipo
Data: 1-Mar-2013
Citação: ROQUE, Cláudio [et al.] (2013) - Identificação de um novo haplótipo de Fasciola hepatica. In Congresso Análises Clínicas e de Saúde Pública da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias, 5, Castelo Branco, 1 a 3 de março. Poster
Resumo: F. hepatica é o agente etiológico da Fasciolose humana/animal, e tem a capacidade de parasitar diversas espécies animais, principalmente herbívoros e omnívoros (ovinos, bovinos, caprinos, etc.) onde pode ser encontrado no fígado e canais biliares, tendo também a capacidade, de acidentalmente infetar o Homem. Este parasita apresenta uma distribuição cosmopolita sendo mais frequente em regiões pantanosas sujeitas a inundações periódicas. Foi efetuada a extração de DNA de um exemplar de F. hepatica obtido no matadouro de Pedrogão Grande, através do método manual de fenol-clorofórmio. As regiões ribossomais intergénicas transcritas ITS1 e ITS2 foram amplificadas em duas reações separadas, com os primers BD1/4S (Bowles, et al., 1993c) e Dd58SF1/Dd28SR1 (Sharroks, 1994), respetivamente. Os produtos de amplificação das reações foram purificados com o kit “QIAquick PCR purification kit” e sequenciados pela empresa STAB VIDA (Portugal), através do método de Sanger. No final procedeu-se ao tratamento e análise filogenética das sequências obtidas através de software apropriado, culminando com a criação de redes filogenéticas pelo programa SplitsTree4, usando distâncias calculadas através do parâmetro Kimura-2 no algoritmo Neighbor-Net. Após se efetuar a amplificação regiões alvo (ITS1 e ITS2) e respetiva análise filogenética verificou-se que estas eram diferentes de todas as que estavam descritas na base de dados do GenBank. A região ITS1 do exemplar estudado está mais próxima filogeneticamente de amostras do continente asiático (AJ628432, AJ628431, EF612469 e EF612468), do continente africano (EF612467 e EF198867) e do continente americano (AJ243016), com um único local polimórfico de diferença entre as sequências referidas e a sequência estudada. A região ITS2 estava próxima filogeneticamente de sequências descritas um pouco por todo o mundo, apresentando 2 locais polimórficos em relação às sequências descritas na base de dados. Este será portanto um novo haplótipo de ITS1 e ITS2 para F. hepatica e a primeira sequência obtida desta região para esta espécie em Portugal.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/2340
Aparece nas colecções:ESALD - Posters em encontros científicos/técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Identificação de um novo haplótipo de Fasciola hepatica.pdf1,37 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.