Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/245
Título: Contribuição para o estudo da ecologia e da conservação de Asphodelus bento-rainhae P. Silva
Autor: Esteves, Maria de Lurdes Espadinha
Orientador: Almeida, José Pedro Pestana Fragoso de
Quinta-Nova, Luís Cláudio de Brito Brandão Guerreiro
Palavras-chave: Asphodelus bento-rainhae
Conservação da natureza
Gestão de habitats
Serra da Gardunha
Data de Defesa: 2005
Editora: Universidade dos Açores
Citação: ESTEVES, Maria de Lurdes Espadinha(2005) - Contribuição para o estudo da ecologia e da conservação de Asphodelus bento-rainhae P. Silva. Angra do Heroísmo : Universidade dos Açores.Dissertação de Mestrado.
Resumo: Asphodelus bento-rainhae P.Silva é uma espécie de Liliaceae endémica da vertente norte da Serra da Gardunha (Fundão). Atendendo à sua reduzida distribuição geográfica e ao facto de ser considerada uma espécie ameaçada é fundamental o conhecimento detalhado dos factores ecológicos que condicionam a sua distribuição e abundância. Os objectivos deste trabalho são, assim, a determinação da densidade total e da densidade de plantas em floração em diversos tipos de habitat em função de vários parâmetros ecológicos. Pretende-se com estes dados contribuir para que a gestão dos habitats possa ser efectuada de forma a compatibilizar os usos do solo com a conservação da espécie. Este aspecto é particularmente importante visto que se assiste actualmente a uma alteração dos usos agro-florestais da zona, nomeadamente o incremento de áreas de cerejal. Foram realizadas contagens do número de plantas em 648 parcelas de 1 m2 procurando abarcar os diversos habitats e situações ecológicas onde ocorre A. bento-rainhae. Através do modelo de regressão de Poisson, pelo método da quasi-verosimilhança, foi possível identificar as variáveis ambientais estatisticamente significativas no valor médio de densidade de A. bento-rainhae. Para determinar, de forma precisa, o modo como cada uma das variáveis anteriormente identificadas influencia a densidade, recorreu-se à realização de testes não paramétricos. Concluiu-se que as variáveis determinantes na densidade da espécie foram o tipo de habitat e o respectivo grau de cobertura. A maior densidade total da espécie (5,09) verificou-se em habitats pouco abertos (bosque de castanheiro e bosque de pinheiro, e orlas de bosque), enquanto que a densidade de floração foi significativamente superior (0,91) em habitats de menor grau de cobertura (orlas de cerejal, cerejal sem intervenção, orlas de bosque e matos). Parece, além disso, possível a compatibilização dos pomares de cerejeiras com a conservação de A. bento-rainhae.
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade dos Açores para obtenção do Grau de Mestre em Gestão e Conservação da Natureza no âmbito do Curso de Mestrado em Gestão e Conservação da Natureza, ministrado pela Universidade dos Açores em colaboração com a Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/245
Aparece nas colecções:IPCB - Dissertações de Mestrado
ESACB - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Mestrado ABR_LE.pdf4,09 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.