Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/2844
Título: Intervenção do enfermeiro na prevenção das perturbações emocionais no primeiro mês pós-parto
Autor: Mendes, Alda Maria Pires Silva
Orientador: Silva, Abel Avelino de Paiva e
Leal, Isabel Maria Pereira
Palavras-chave: Puerpério
Cuidados de enfermagem
Visita domiciliária
Perturbações psicoemocionais no pós-parto
Depressão pós-parto
Postpartum/Puerperium
Nursing Care
Home visiting
Postpartum mood disorders
Postpartum depression
Data de Defesa: 2015
Resumo: As intervenções de enfermagem em ambiente domiciliário durante o puerpério podem constituir um importante instrumento de prevenção das perturbações emocionais da puérpera e da sua família, no período post partum. A investigação decorreu de março de 2010 a novembro de 2012 na área de influência da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco e teve como objetivos: determinar a incidência de puérperas que apresentam blues pós-parto entre o 5º e o 10º dia de puerpério; avaliar a influência da intervenção do enfermeiro na incidência de blues pós-parto nas puérperas, entre o 5º e o 10º dia de puerpério; determinar a incidência e a prevalência de puérperas com “risco elevado” de depressão pós-parto entre as 6 e as 9 semanas pós-parto; avaliar a influência da intervenção do enfermeiro na incidência e prevalência de puérperas com “risco elevado” de depressão pós-parto entre as 6 e as 9 semanas pós-parto; avaliar a influência da intervenção do enfermeiro, na promoção da saúde da díade mãe/filho. O estudo, com um desenho quase-experimental envolveu 200 primíparas com parto eutócico, das quais 100 no grupo de intervenção (GI) e 100 no grupo de controlo (GC). No GI cada puérpera foi sujeita pelo menos a duas visitas domiciliárias ao longo do primeiro mês pósparto. A obtenção de dados ocorreu entre as 35 e 40 semanas de gravidez, entre o 5º e o 10º dia pós-parto e entre as 6 e as 9 semanas pós-parto, a partir de três questionários. O primeiro incluía a Escala Ansiedade Depressão e Stress de 21 itens (EADS); o segundo a Escala de Avaliação das Alterações Psicoemocionais do Puerpério (EAAPP); o terceiro, a Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS). A escala EAAPP mostrou a “ausência de alterações psicoemocionais do puerpério” na maioria das participantes - 65% (GC) e 77% (GI), não havendo diferenças significativas entre os grupos (p = 0,066). Quanto ao risco da puérpera desenvolver depressão pós-parto (EPDS) havia diferenças significativas entre os grupos (p = 0,013). Há mais participantes do grupo controlo com “risco elevado” de depressão pós-parto (14%), comparativamente com as do grupo intervenção (4%). A análise estatística revelou ainda diferenças significativas entre o GC e o GI relativamente a algumas variáveis analisadas no estudo (p<0,05): maior prevalência de aleitamento materno exclusivo entre as 6 e as 9 semanas nas puérperas do GI; menor procura dos serviços de saúde, por problemas relacionados com a criança no GI; referência a menos dificuldades significativas no final do puerpério nas puérperas do GI; menos dificuldades em lidar com as alterações psicológicas das participantes do GI. Este estudo revelou a importância das visitas domiciliárias ao longo do primeiro mês pósparto na diminuição do risco das puérperas desenvolverem depressão pós-parto, e ainda em variáveis que conduzem a um puerpério mais saudável como sejam o aleitamento materno, problemas de saúde relacionados com as crianças, e as dificuldades sentidas pela mulher durante o puerpério.
Abstract: Home based nursing interventions during puerperium can be considered as an important tool to prevent post-partum emotional disturbs both in puerperal women as in their families. This research was conducted from March, 2010 to November, 2012 covering the population served by the Local Health Unit of Castelo Branco, aiming the following objectives: determine the incidence of postpartum blues between the 5th and the 10th puerperium days; assess the outcomes of postpartum blues incidence between the 5th and the 10th puerperium days, after nursing interventions; determine the incidence and prevalence of women with high risk of postpartum depression between the 6th and the 9th puerperium weeks; assess the outcomes of postpartum blues incidence and prevalence between the 6th and the 9th puerperium weeks, after nursing interventions; evaluate the results of nursing interventions in promoting mother and child health. This research based on a quasi-experimental design studied 200 primiparas after an eutocic delivery. 100 in the experiment group (EG) and 100 in the control group (CG). Each woman included in the experiment group received at least two domiciliary nursing interventions during the first month post partum. Data gathering occurred between the 35th and the 40th pregnancy weeks (Depression Anxiety Stress Scales - 21 item - DASS); between the 5th and the 10th postpartum days (Assessment of Puerperium Psycho-emotional Changes Scale - APPCS); between the 6th and the 9th postpartum weeks (Edinburgh Postnatal Depression Scale - EPDS). APPCS results showed “lack of puerperium psycho-emotional changes” on the majority of the participants of both groups (CG, 65%) and (EG, 77%) with no significant differences between the two mentioned groups (p = 0,066). The risk of suffering Postpartum Depression was significantly higher (p = 0,013) among the CG (14% - “high risk”) than in the EG (4% - “high risk”). Statistical analysis also revealed significant differences (p<0,05) between CG and EG when comparing them taking over other studied variables, such as: higher prevalence of exclusive breastfeeding between the 6th and the 9 th postpartum weeks, within EG; lower needs of health services support to face child health problems, within the EG; lower postpartum experiencing difficulties by the end of puerperium, within the EG; lower difficulties in dealing with psychological changes during puerperium, within the EG. This research revealed the importance of nursing domiciliary visitation during the first month of puerperium period as a way to reduce the risk of Postpartum Depression. In addition, it brought up the evidence of variables that contribute to carry out a healthier puerperium, such as: breastfeeding higher commitment, capacity of facing child health problems and competence to deal with puerperium related difficulties
Descrição: Tese de Doutoramento em Enfermagem apresentada à Universidade de Lisboa.
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/2844
Designação: Doutoramento em Enfermagem
Aparece nas colecções:ESALD - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Doutoramento Alda.pdf3,69 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.