Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/306
Título: Influência do genótipo, idade da planta mãe e posição do explante inicial, na capacidade de multiplicação in vitro do sobreiro (Quercus suber L.)
Autor: Peixe, A.
Cavaleiro, C.
Mendes, A.
Gonçalves, J.C.
Palavras-chave: Sobreiro
Propagação
Cultura in vitro
Data: 1996
Editora: IPCB. Escola Superior Agrária
Citação: PEIXE, A. [et al.] (1996) - Influência do genótipo, idade da planta mãe e posição do explante inicial, na capacidade de multiplicação in vitro do sobreiro (Quercus suber L.). In Simpósio de Propagação Vegetativa de Espécies Lenhosas, Castelo Branco, 18 a 20 de Abril de 1996 - Actas. Castelo Branco : IPCB. ESA. p. 228-234.
Resumo: O material utilizado foi recolhido em árvores adultas e em plantas provenientes da enxertia de árvores adultas sobre jovens plantas de origem seminal. Como explantes iniciais foram utilizados ramos do ano, tendo-se separado por grupos os explantes provenientes do gomo terminal e do primeiro, segundo e terceiro gomos axilares bem diferenciados. O meio de cultura utilizado foi o Woody Plant Medium (WPM) suplementado com 0,1 mgl-1 de BAP, 7gl-1 de Difco Bacto Agar e 20gl-1 de sacarose. Foram encontradas diferenças significativas entre os genótipos, tanto ao nível da idade da planta mãe como da posição do gomo utilizado. Os resultados obtidos com as plantas enxertadas, foram sempre significativamente superiores aos obtidos com as árvores adultas. Quanto à posição relativa do gomo, verifica-se que tanto ao nível do abrolhamento, como ao nível das taxas de multiplicação, no primeiro subcultivo, os melhores resultados foram obtidos quando se utilizaram os gomos terminais. Note-se no entanto que estas diferenças inicialmente significativas, se encontram já bastante atenuadas ao nível do segundo subcultivo. Outro aspecto com interesse e que mostra a dificuldade para multiplicar in vitro o sobreiro através de rebentação axilar utilizando genótipos adultos, é dado pela percentagem de explantes não evoluídos, que chega a atingir os 75%. As plantas enxertadas apresentaram um comportamento bastante melhor a todos os níveis, o que nos leva a pensar na provável ocorrência de um rejuvenescimento dos tecidos devido ao facto de a enxertia ter sido realizada sobre jovens plantas de semente.
Descrição: Comunicação apresentada no Simpósio Propagação Vegetativa de Espécies Lenhosas que decorreu de 18 a 20 de Abril de 1996, na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/306
Aparece nas colecções:ESACB - Comunicações em encontros científicos e técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
SIMP_PROPAG_JCGONCALVES.pdf2,4 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.