Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/392
Título: O vídeo como recurso didáctico para a identificação e desenvolvimento de processos metacognitivos em futuros professores de matemática durante a resolução de problemas
Autor: Afonso, Paulo José Martins
Palavras-chave: Autoscopia
Estratégias
Metacognição
Perfil metacognitivo
Problema
Processos metacognitivos
Resolução de problemas
Vídeo-gravação
Data de Defesa: 1995
Citação: AFONSO, Paulo José Martins (1995) - O vídeo como recurso didáctico para a identificação e desenvolvimento de processos metacognitivos em futuros professores de matemática durante a resolução de problemas. Braga : Universidade do Minho. Instituto de Educação. 236 f. Dissertação de Mestrado.
Resumo: O presente estudo, de tipo exploratório, pretende analisar se o registo vídeo permite o desenvolvimento de processos metacognitivos em futuros professores de Matemática do Segundo Ciclo do Ensino Básico, aquando da resolução de problemas. O estudo principal desenrolou-se num período de onze sessões com a duração de hora e meia cada, no âmbito da disciplina de Metodologia do Ensino da Matemática, disciplina esta, na qual é docente o autor deste estudo e onde a temática da resolução de problemas constitui o foco central do programa curricular. Os participantes do estudo foram dezoito alunos do segundo ano do curso de Professores do Ensino Básico, Variante de Matemática e Ciências da Natureza da Escola Superior de Educação de Castelo Branco. Formaram-se dois tipos de grupos de trabalho com nove sujeitos cada, sendo um deles (filmado) o grupo tipo experimental e o outro (não filmado) o grupo tipo controlo. As onze sessões de trabalho foram repartidas por quatro fases, sendo a primeira e a última de resolução livre de problemas de processo, seleccionados aleatoriamente de um bateria de problemas deste tipo; a segunda fase consistiu na leccionação dos conteúdos relacionados com a temática da resolução de problemas. Nesta fase fora resolvidos problemas de processo semelhantes aos da primeira fase, em termos das estratégias mais adequadas à sua resolução; a terceira fase consistiu em colocarmos os grupos filmados num processo de autoscopia, bem como de observação crítica das cópias dos registos escritos dos problemas que não haviam resolvido correctamente na primeira fase do estudo. Os grupos não filmados foram somente submetidos à observação dos registos escritos desses mesmos problemas, com o intuito de os analisarem e criticarem. Os dados foram recolhidos através dos registos escritos, das respostas ao questionário metacognitivo e dos registos vídeo, atendendo às quatro categorias sugeridas pelo modelo de Lester (1985) – “orientação”,”organização”, “execução” e “verificação”. No caso dos registos escritos, os dados foram analisados recorrendo-se à escala holística focada, traduzida e adaptada, de Charles e al. (1987). No questionário, as respostas foram analisadas individualmente. Atendendo à frequência de respostas, assim rotulámos os sujeitos em “pouco”, ”medianamente” e “frequentemente” metacognitivos. No caso dos registos vídeo, os dados foram analisados através da grelha de análise, traduzida e adaptada, de Buchanan (1987). Os resultados obtidos, relacionados com as quatro categorias do modelo de Lester (1985), apontam para a confirmação de alguns aspectos relatados na literatura relativa a esta área da metacognição. Em termos gerais, quer os participantes dos grupos filmados, quer os dos grupos não filmados desenvolveram a sua capacidade de reflectirem sobre o seu próprio pensamento. Destacamos ainda que os participantes dos grupos filmados indiciaram ter estado mais vezes envolvidos em processos metacognitivos do que os dos grupos não filmados. Na maioria destes sujeitos filmados houve um aumento da tomada de consciência da metacognição utilizada, isto é, a relação entre a reflexão sobre a acção e a reflexão na acção passou a ser mais estreita. Os resultados sugerem, pois, que é possível o registo vídeo ter estado na base desta melhoria metacognitiva que ocorreu com os participantes dos grupos filmados. Apontam-se sugestões a ter em conta em investigações futuras do mesmo tipo. Pensamos que este estudo pode ser um contributo para a formação de futuros professores de Matemática em que se privilegia o “pensar sobre o pensar”, recorrendo-se ao registo vídeo.
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade do Minho como requisito parcial para a obtenção do Grau de Mestre em Educação, especialidade de Tecnologia Educativa, sob a orientação da Professora Doutora Cândida Maria de Almeida Paupério Queiroz Moreira
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/392
Aparece nas colecções:ESECB - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Binder1.pdf5,57 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.