Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/5535
Título: Influência da estrutura da paisagem nas comunidades de aves. As comunidades de passeriformes da Beira Interior Sul, Portugal
Autor: Tomé, J.
Quinta-Nova, L.C.
Fernandez, P.
Palavras-chave: Análise Canónica de Correspondências
SIG
Passeriformes nidificantes
Métricas da Paisagem
Data: 2016
Editora: Novas Edições Académicas
Citação: Tomé, J., Quinta­-Nova, L. & Fernandez, P. (2016). Influência da estrutura da paisagem nas comunidades de aves. As comunidades de passeriformes da Beira Interior Sul, Portugal. Novas Edições Académicas. ISBN: 978-84-695-9132-1, 79 pp.
Resumo: O presente trabalho tem como objectivo identificar a relação existente entre as comunidades de aves que nidificam na sub-região Beira Interior Sul e a composição e estrutura da paisagem desse território. Procurou-se, igualmente, verificar a importância da rugosidade do terreno na distribuição destas comunidades. Foi igualmente objectivo do estudo identificar um conjunto de métricas espaciais que caracterizem a estrutura da paisagem, bem como as tipologias fisionómicas de habitat passíveis de determinar a distribuição das comunidades de passeriformes nidificantes. A informação referente à ocupação de solo foi processada no programa ArcGIS 9.3.1, com recurso à extensão Patch Analyst. A informação relativa à rugosidade do terreno foi analisada na extensão Land Facet Corridor Tools. Os dados resultantes, juntamente com a informação referente às aves nidificantes, foram posteriormente estudados através de Análise Canónica de Correspondências (ACC) e de Análise Classificativa (AC). Os resultados do estudo mostram que a Beira Interior Sul apresenta locais com uma riqueza específica significativa no que diz respeito às comunidades de passeriformes nidificantes, embora os resultados obtidos não sejam idênticos para toda a sub-região. O valor de 11,7, correspondente à riqueza específica média é razoável, mas apresenta um desvio padrão de 5,2, que expressa essa realidade. Este facto pode ser explicado por diversos factores como o zonamento do território, em que se distingue um sector oeste mais homogéneo, com clara dominância florestal e menor disponibilidade de nichos ecológicos, de um sector este com maior heterogeneidade e proporcionalidade de ocupações do solo, permitindo a existência de mais nichos ecológicos para as diferentes espécies de aves. Os resultados da ACC, mostram ainda que as tipologias de ocupação do solo têm maior influência na distribuição da avifauna, ao explicar 37% da variação total, do que a estrutura, cujo resultado foi de 16%. Para o estudo da estrutura deste território fica também demonstrada a importância de incluir índices de rugosidade, porque esta opção permitiu melhorar a explicação da variação total em 5%. A análise classificativa permitiu a identificação de tipologias fisionómicas importantes em que predominam os estratos arbóreo e arbustivo, cujos resultados estão em conformidade com os grémios de alimentação e nidificação identificados para as aves estudadas.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/5535
ISBN: 978-84-695-9132-1
Aparece nas colecções:ESACB - Livros ou capítulos de livros

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Livro_JT_PF_LQN.pdf10,59 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.