Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/582
Título: Caracterização molecular de Listeria monocytogenes ser. 4b por Amplified Fragment Length Polymorphism "AFLP"
Autor: Goulão, Maria Manuela Martins Francisco
Orientador: Ferreira, Maria Adélia da Silva Santos
Pintado, Cristina Maria Baptista dos Santos
Palavras-chave: Listeria monocytogenes
Tipagem por AFLP
Marcador geográfico
Queijo
Data de Defesa: 2010
Editora: Universidade dos Açores
Citação: GOULÃO, Maria Manuela Martins Francisco (2010) - Caracterização molecular de Listeria monocytogenes ser. 4b por Amplified Fragment Length Polymorphism "AFLP". Angra do Heroísmo : Universidade dos Açores. 125 p. : quadros, gráficos. Dissertação de Mestrado.
Resumo: O serotipo maioritariamente associado às estirpes de Listeria monocytogenes isoladas de queijos Portugueses pertence ao serotipo 4b, o qual está referido na literatura como o responsável pelo maior número de casos de listeriose humana. Tendo em conta a importância de que se revestem estas estirpes, a sua caracterização usando métodos mais discriminatórios que a serotipagem é de crucial importância. Assim, o presente estudo teve por finalidade a caracterização molecular de estirpes de L. monocytogenes ser. 4b, isoladas de queijos de diferentes zonas do país, e uma primeira avaliação da distribuição geográfica dos tipos moleculares encontrados. Foi usado o método Amplified Fragment Length Polymorphism (AFLP) com base no protocolo que se encontra em funcionamento no Health Protection Agency Department of Gastrointestinal Infections / Centre for Infections, em Londres. Para a análise da similaridade entre estirpes recorreu-se ao programa Bionumerics. O poder discriminatório do método AFLP foi calculado através do índice de diversidade de Simpson. Das 47 estirpes de L. monocytogenes ser. 4b tipadas neste trabalho resultaram 6 perfis diferentes com um número de bandas compreendido entre 5 a 7 no intervalo entre 500 bp e 1500 bp. Todos os perfis AFLP apresentaram uma banda comum de aproximadamente 850 bp. O poder discriminatório do método AFLP foi avaliado em 0,70. Pela análise do dendrograma observou-se a existência de 6 clusters para uma percentagem de similaridade de 98%, os quais foram agrupados de acordo com o tipo AFLP previamente atribuído. A relação de similaridade mais afastada encontrada entre os 47 isolados foi de 67%. Considerando a totalidade dos isolados provenientes da região da Serra da Estrela, foi possível identificar 5 tipos AFLP, quatro dos quais identificados apenas naquela zona e um quinto tipo AFLP com uma distribuição geográfica alargada (Serra da Estrela, Serpa e São Jorge), o que contraria a sua utilização como marcador geográfico. Comparando estes 47 perfis com os obtidos anteriormente pelo mesmo método usando isolados provenientes das zonas produtoras de queijo de Castelo Branco e Tolosa (n=61), conclui-se que os tipos AFLP obtidos são diferentes, não havendo tipos AFLP comuns entre as zonas de Tolosa, Castelo Branco e Serra da Estrela, indicando uma associação entre um determinado tipo AFLP de L. monocytogenes ser. 4b e cada uma destas regiões.
Descrição: Dissertação do Mestrado em Engenharia Zootécnica, ministrado em colaboração pela Universidade dos Açores e pela Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/582
Aparece nas colecções:ESACB - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_Mestrado_Manuela_Goulao.pdf5,64 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.