Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/86
Título: Significado ambiental do P quantificado pelo método de Olsen
Autor: Monteiro, M.C.H.
Torrent, J.
Palavras-chave: Solo
Nutrientes do solo
Fósforo
Ecossistema
Data: 2006
Editora: Congreso Ibérico de la Ciencia del Suelo
Citação: MONTEIRO, M.C.H. ; TORRENT, J. (2006) - Significado ambiental do P quantificado pelo método de Olsen. In Congresso Ibérico de la Ciencia del Suelo, 2, Huelva, 13 a 17 de Junho.
Resumo: O Fósforo mineral (P) é um nutriente essencial quer em ecossistemas terrestres quer aquáticos. No entanto, uma concentração de P total de 0.02-0.035 mg L-1 em águas superficiais pode originar a eutrofização das águas superficiais. Existem actualmente dados que indicam que a actividade agrícola é a principal causa de introdução de P de forma difusa nos ecossistemas aquáticos. Os métodos analíticos actualmente utilizados para quantificar o P no solo são muito diversos e foram desenvolvidos com objectivos estritamente agronómicos. Deste modo, é difícil comparar resultados e estabelecer valores padrão em acções concertadas de gestão do P no solo. O objectivo deste trabalho foi o de avaliar a capacidade do método de Olsen como índice ambiental. Utilizaram-se 32 solos agrícolas representativos das condições edáficas de Portugal. Avaliaram-se as propriedades básicas do solo, o seu conteúdo em P quantificado pelo método de Olsen (P Olsen) e efectuou-se um ensaio de desorção suspendendo o solo num electrólito diluído usando três relações solo:solução: 1:100, 1:1000 e 1:10000. Neste ensaio pretendeu-se simular a transferência de P para a água de drenagem (1:100), para a água de escoamento superficial (1:1000) e para águas superficiais (1:10000) em condições estáticas. Os frascos contendo as diversas suspensões solo:electrólito foram agitados num agitador de vai-vem nos dois primeiros dias durante 30 min e depois uma vez por semana até ao 218 dias. Recolheram-se amostras a determinados intervalos de tempo, a primeira recolheu-se passados 14 dias, a segunda ao 29 dias e depois com intervalos de 30 dias até aos 180 dias e uma última aos 218 dias. A amostra colhida foi centrifugada a 1.04 x 105 m s-1 durante 15 min e determinou-se o P em solução pelo método de Murphy e Riley (1962). O ajuste dos resultados obtidos ao modelo “change-point” permitiu identificar para cada relação solo: electrólito diluído um ponto de mudança de declive ou “change point” de 21 mg kg-1 de P Olsen para a relação 1:100; de 57 mg kg-1 para a 1:1000 e 56 mg kg-1 para a 1:10000. O P em solução correspondente ao “change-point” para a relação 1:10000 era inferior a 0.02 mg L-1 no entanto, para a relação 1:1000 encontrava-se próximo do valor 0.05 mg L-1. Este valor é considerado crítico em águas de escoamento superficial no que diz respeito à possibilidade de causar eutrofização em águas superficiais. Em conclusão, a capacidade de retenção de fosfato destes solos está fundamentalmente saturada para valores de P Olsen de cerca de 50 mg kg-1. Para valores superiores a este a capacidade de sorção de fosfato é baixa e a capacidade do solo em transferir P para as águas é elevada.
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/86
Aparece nas colecções:ESACB - Posters em encontros científicos/técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
poster_spcs06.pdf2,26 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.