Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.11/897
Título: A problemática ambiental de pedreiras desactivadas: caso de estudo no Concelho de Cantanhede
Autor: Antunes, I.M.H.R.
Gonçalo, M.S.
Palavras-chave: Extracção de inertes
Pedreiras desactivadas
Recuperação paisagística
Concelho de Cantanhede
Data: 2008
Editora: UTAD
Citação: ANTUNES, I.M.H.R. ; GONÇALO, M.S. (2008) - A problemática ambiental de pedreiras desactivadas: caso de estudo no Concelho de Cantanhede. In Seminário de Recursos Geológicos, Ambiente e Ordenamento do Território, 5, Vila Real - Actas. Vila Real : UTAD. P. 62-67.
Resumo: A sociedade actual é altamente consumista procurando a todo o momento o seu conforto e bem-estar muitas vezes através de uma utilização e exploração excessiva da natureza. A extracção de rochas tem um importante papel na economia portuguesa, particularmente a nível do sector produtivo. Contudo, esta extracção não pode ser apenas direccionada para critérios económicos, devendo proceder-se de forma adequada e em harmonia com o meio ambiente, de modo a utilizar e explorar os recursos naturais e a reutilizar estes locais após cessada a exploração. O Concelho de Cantanhede é reconhecido como património geológico com diversas explorações distribuídas pela região, tanto em actividade como abandonadas. Neste trabalho procedeu-se à inventariação, com identificação, reconhecimento e caracterização das pedreiras existentes no concelho de Cantanhede, tendo sido estudadas cerca de 40 pedreiras, das quais 28 estão desactivadas. Estas últimas foram divididas em quatro grupos distintos consoante se encontram aterradas na totalidade, semi-aterradas, recuperadas ou abandonadas. Nas pedreiras aterradas e semi-aterradas persiste um forte impacte visual, face à extensa área de solo desprovido de vegetação com incremento da erosão dos solos. Para as pedreiras abandonadas, por sua vez, a degradação ambiental é elevada e associa-se ao seu abandono sem a adopção de um processo de recuperação ou reabilitação. Na implementação de uma proposta de recuperação paisagística deve ser considerada a sua localização geográfica e acessibilidade, área total ocupada, bem como, a existência de escarpas em bom estado de conservação, relativamente estáveis e de altitude suficiente para a prática de desportos radicais. Por outro lado, as características da área envolvente, como sejam a presença de vegetação arbustiva e arbórea, existência de elementos de interesse histórico-cultural e necessidade aparente de menor intervenção constituem elementos a considerar. Cada um destes pontos deve ser avaliado e as possíveis vantagens/inconvenientes e impactes associados às diferentes pedreiras abandonadas existentes.
URI: http://hdl.handle.net/10400.11/897
Aparece nas colecções:ESACB - Comunicações em encontros científicos e técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Antunes_Goncalo 2008.pdf305,78 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.